11 de julho de 2011

Contradições respondidas III

21- A Torah diz que o Prometido por Deus seria semelhante a Moisés (Devarim 18:15-19); mas Paulo...


...diz que Jesus não é semelhante a Moisés, mas muito superior a ele, sendo deus (Hebreus 1:8-12; 3:1-6); Isto contradiz com a Tora e obviamente não é judaísmo e muito menos messiânico. 

A fim de mostrar quão grande é este Jesus, o apóstolo Paulo prosseguiu dizendo à multidão de judeus em volta dele, no templo: "De fato, Moisés disse: 'Jeová Deus vos suscitará dentre os vossos irmãos um profeta semelhante a mim. A estes tendes de escutar segundo todas as coisas que ele vos falar. Deveras, toda alma que não escutar esse Profeta será completamente destruída dentre o povo.'" (Atos 3:22,23) Paulo citava ali as palavras do profeta Moisés, em Deuteronômio 18:15-19.


Jesus Cristo é aquele Profeta prometido que havia de ser semelhante a Moisés, porém, maior do que Moisés. Ele fez mais e maiores milagres do que Moisés, e é mediador do Novo Pacto entre Jeová e a congregação cristã, um pacto muito melhor do que o Pacto da Lei mediado por Moisés no Monte Sinai, na Arábia. (Atos 2:22; Jer 31:31-34; Heb 8:6; 9:15; 12:24; 13:20)


22- Jesus disse "Eu e o Pai somos um" (João 10:30)


...neste texto Jesus se coloca em pé de igualdade com Deus.
...mas em outro texto: "o Pai é maior do que eu" (João 14:28)


Colocarei textos adicionais para entenderem o significado.


João 10:30: "Eu e o Pai somos um."
João 17:20-22: "Faço solicitação, não somente a respeito destes, mas também a respeito daqueles que depositam fé em mim, por intermédio da palavra deles; a fim de que todos sejam um, assim como tu, Pai, estás em união comigo e eu estou em união contigo, para que eles também estejam em união conosco, a fim de que o mundo acredite que me enviaste. Também, eu lhes tenho dado a glória que tu me tens dado, a fim de que sejam um, assim como nós somos um.


1 Coríntios 1:10, ALA "Rogo-vos, irmãos, pelo nome de nosso Senhor Jesus, que faleis todos a mesma cousa, e que não haja entre vós divisões; antes sejais inteiramente unidos, na mesma disposição mental e no mesmo parecer."


João 8:23, 29, AL "Disse-lhes pois Jesus: Quando levantardes o Filho do homem, então conhecereis quem eu sou, e que nada faço por mim mesmo, mas falo como o Pai me ensinou. E aquele que me enviou está comigo, o Pai não me tem deixado só, porque eu faço sempre o que lhe agrada."


A questão aqui é união (grega (hen) para "um" em todos os casos) de pensamento.


23- O Eterno disse que nunca um Rei se levantaria com maior glória e sabedoria do que Shelomoh (Salomão) (1 Reis 3:13; 2 Crônicas 1:12)


...mas, Jesus, não negou ser pretenso rei (João 18:33-37; Mateus 27:11), disse que ele era maior do que Salomão (Mateus 12:42) contradizendo o Tanak.


Esse glorioso milênio pode ser assemelhado aos 40 anos do governo pacífico e próspero do rei Salomão sobre o antigo Israel. (1 Reis 4:24; 25,29) Ao visitar o rei Salomão, a rainha de Sabá disse: "Veraz se mostru a palavra que ouvi na minha própria terra a respeito dos teus assuntos e sobre a tua sabedoria. E eu não depositava fé nas palavras até que vim ver com meus próprios olhos; e eis que não se me contou nem a metade. Ultrapassaste em sabedoria e em prosperidade as coisas ouvidas que escutei. Felizes são os teus homens; felizes são estes servo teus que estão constantemente de pé diante de ti, escutando a tua sabedoria!" - 1 Reis 10:6-8.


Se a paz, a prosperidade e a sabedoria do governo terrestre de 40 anos do rei Salomão ultrapassaram, sim, em mais do que o dobro, as tremendas expectativas da rainha de Sabá, então o Governo Milenar do celestial rei Salomão maior, Jesus Cristo, certamente ultrapassará a imaginação humana! Nas palavras do próprio Jesus, ele é "algo maior do que Salomão". (Mateus 12:42) Tente visualizar as mais saudáveis, prósperas, pacíficas, justas e felizes condições que puder para a terra, e isso não será sequer uma fração do que o Milênio de Cristo tem em reserva.


Lembre-se que Jesus disse que ele não seria um rei humano "já que ele disse que o reino dele não seria desse mundo", por não ser rei humano não está indo de encontro a (1 Reis 3:13; 2 Crônicas 1:12) Pois quando esteve na terra não se tornou rei e reinando no céu não se iguala a reis humanos.

24- Jesus incentivou os discípulos a se armarem de espadas para...


...realizar uma revolução, pois este era o objetivo de sua vinda a Terra (Lucas 22:36: 23:2-3);


MENTIRA!
Aqui os textos que mostram para que ele veio ao mundo


João 18:37 "Para isso nasci e para isso vim ao mundo, a fim de dar testemunho da verdade. Todo aquele que está do lado da verdade escuta a minha voz."


1 João 4:9, 10 "Por meio disso é que se manifestou o amor de Deus em nosso caso, porque Deus enviou o seu Filho unigênito ao mundo para que ganhássemos a vida por intermédio dele. O amor é neste sentido, não que nós tenhamos amado a Deus, mas que ele nos amou e enviou seu filho como sacrifício propiciaório pelos nossos pecados."


...depois, vendo inútil a ação armada de seus discípulos, em seu favor, proibe o uso da espadas (Mateus 26:51,56); Mashiac será entre tantas coisa um líder militar.


Jesus como O Grande Instrutor usou a maneira de ensinar que todos os que estudam idiomas sabem.


Memória auditiva (pois o que ouvimos lembramos melhor)
Memória visual (pois o que vemos lembramos melhor)
Memória sentimental (pois o que sentimos lembramos melhor)
Memória participativa (pois o que acontece conosco lembramos melhor)


Jesus usou estas quatro para que ficasse enrraigada em suas mentes, para que depois que ele morresse, eles não quisessem se vingar. Aí ele ensinou: Jesus disse-lhe então: "Devolve a espada ao seu lugar, pois todos os que tomarem a espada perecerão pela espada". Ou pensas que não posso apelar para meu Pai, para fornecer-me neste momento mais de doze legiões de anjos?"


25- Jesus disse que, dos alimentos que ingerimos, nada vai ao coração, mas vai tudo para o intestino e dali para o esgoto (Marcos 7:18,19)


...mas discordando, Paulo pregava que, dos alimentos que ingerimos, algo vai para o coração, em forma de sangue. (Atos 14:17)


Leiam Atos 14:17 e vejam que a diferença é que aqui Paulo fala do coração literal, já Jesus falava do figurativo leia com atenção (Marcos 7:1-23)


26- Isaías predisse que o Servo do Eterno não seria destruído até estebelecer a Justiça na Terra (Isaías 42:4)


...mas Jesus, a quem os missionários aplicam essa profecia (Mateus 12:18-20), morreu, como todos os seres humanos, pois era mortal (Marcos 15:37), e a Justiça não foi estabelecida na Terra, desde então, como esclareceu Paulo (Romanos 3:9-10)


                         "Produziria justiça para as nações"
O Escolhido de Jeová 'produziria', ou tornaria manifesta, a verdadeira justiça. "Ele esclarecerá às nações o que é justiça." (Mateus 12:18) Como isso era necessário no primeiro século EC! Os líderes religiosos judeus ensinavam um conceito distorcido da justiça e retidão. Procuravam ser justos seguindo um rígido conjunto de leis - muitas delas de autoria própria. Na sua justiça legalista não havia lugar para misericórdia e compaixão.


Em contraste com isso, Jesus revelou o conceito de Deus sobre justiça. Pelo seu ensino e modo de viver, Jesus mostrou que a verdadeira justiça é compassiva e misericordiosa. Considere o seu famoso Sermão do Monte. (Mateus capítulos 5-7) Que magistral explicação de como praticar justiça e retidão! Ao lermos os Evangelhos, não nos comove a compaixão de Jesus pelos pobres e aflitos? (Mateus 20:34; Marcos 1:41; 6:34; Lucas 7:13) Ele levou sua mensagem consoladora a muitos que eram como cana machucada, vergada e golpeada. Pareciam uma mecha fumegante, com sua última centelha de vida quase apagada. Jesus não quebrou uma "cana esmagada" nem extinguiu uma "fraca mecha de linho". Em vez disso, suas palavras e ações amorosas e compassivas animavam o coração dos mansos. - Mateus 11:28-30


Mas por que diz a profecia que Jesus 'não clamaria nem levantaria a sua voz, e não deixaria ouvir a sua voz na rua'? Porque ele não iria se vangloriar, como muitos nos seus dias. (Mateus 6:5) Ao curar um leproso, ele disse ao homem: "Cuida de que não digas nada a ninguém." (Marcos 1:40-44) Em vez de buscar publicidade e levar as pessoas a tirar conclusões a base de relatos de terceiros, Jesus queria que elas discernissem por si mesmas à base de evidências sólidas que ele era o Cristo, o Servo Ungido de Jeová. O Servo Escolhido produziria "justiça para as nações." Jesus fez isso. Além de acentuar a natureza compassiva da justiça piedosa, ele ensinou que ela devia se estender a todos. Certa vez, Jesus lembrou a um homem versado na Lei de que ele devia amar a Deus e ao próximo. O homem perguntou-lhe: "Quem é realmente meu próximo?" Talvez esperasse que Jesus respondesse: "Teu compatriota judeu." Mas Jesus contou a parábola do bom samaritano. Na parábola, um samaritano socorre um homem ferido por assaltantes, ao passo que um levita e um sacerdote haviam se recusado a ajudar. O indagador teve que admitir que, nessa ocasião, o próximo era o desprezado samaritano, não o levita ou o sacerdote. Jesus concluiu a ilustração com o conselho: "Faze tu o mesmo." - Lucas 10:25-37; Levítico 19:18.


27- Jesus disse que o ensino dos escribas e fariseus era correto e devia ser obedecido (Mateus 23:1-3)


No entanto, ensinou que seus discípulos deviam ser mais justos do que os escribas e fariseus (Mateus 5:20) e, condenou a obediência dos fariseus 'as Mitzvot [mandamentos] da Torah (Lucas 18:9-14). Graças ao Novo Testamento fariseu virou "sinônimo" de algo perjorativo.


O próprio texto de Mateus 23:1-3 mostra o porquê deles terem que ser mais justos do que os religiosos judeus.
Mateus 23:1-3 "Jesus falou então às multidões e aos seus discípulos, dizendo: 'Os escribas e os fariseus sentaram-se no assento de Moisés. Portanto, todas as coisas que eles vos dizem, fazei e observai, mas não façais segundo as ações deles, pois dizem, mas não realizam.'"


(Lucas 18:9-14) "Mas, ele contou a seguinte ilustração também a alguns que confiavam em si mesmos como sendo justos e que consideravam os demais como nada: Dois homens subiram ao templo para orar, um sendo fariseu e o outro cobrador de impostos. O fariseu estava em pé e começou a orar as seguintes coisas em seu íntimo: 'Ó Deus, agradeço-te que não sou como o resto dos homensextorsores, injustos, adúlteros, ou mesmo como este cobrador de impostos. Jejuo duas vezes por semana, dou o décimo de todas coisas que adquiro.' O cobrador de impostos, porém, estando em pé à distância, não estava nem disposto a levantar os olhos para o céu, mas batia no peito dizendo: 'Ô Deus, sê clemente para comigo pecador.' Digo-vos: Este homem desceu para sua casa provado mais justo do que aquele homem; porque todo que se enaltecer será humilhado, mas quem se humilhar será enaltecido."


Esse texto não fala nada sobre os mandamentos da Torah, mas sim, sobre a soberba, pois todo humano deve saber que é homem pecador e era sobre isso que Jesus estava falando.


28- Jesus declarou-se "manso e humilde de coração" (Mateus 11:29)


...mas chamou uma gentia de 'cadela' (Mateus 15:21-27)
...e usou chicote de cordas para expulsar pessoas do Templo (João 2:13-16)


Como não deve ter ficado sensibilizado o coração de Jesus pela súplica sincera dessa mulher! Todavia, ele novamente aponta para o seu dever primário: ministrar o povo de Deus, Israel. Ao mesmo tempo, talvez para testar a fé da mulher, Jesus serve-se do preconceito dos judeus sobre pessoas de outras nacionalidades, argumentando: "Não ´direito tirar o pão dos filhos e lançá-lo aos cachorrinhos."


Com um tom de voz e expressão facial compassivos, Jesus certamente revela o seu próprio terno sentimento para com os não-judeus. Até mesmo atenua a comparação de gentios a cachorros, referindo-se a eles como "cachorrinhos". Em vez de se ofender, a mulher aproveita a referência de Jesus aos preconceitos judaicos e diz humildemente: "Sim, Senhor; mas, realmente, os cachorrinhos comem as migalhas que caem da mesa dos seus amos."




"Ó mulher, grande é a tua fé", responde Jesus. "Aconteça-te conforme desejas."


E assim se dá! Voltando para casa, ela encontra sua filha na cama, completamente curada.


Primeiro: Jesus estava procurando as ovelhas perdidas de Israel.
Segundo: o pré-conceito era dos judeus, não de Jesus. Ele só usou isso para testar a fé dela, como foi mostrado nos diseres dele "Ó mulher, grande é a tua fé."


Aqui João 2:13-16 cumpriuse o Salmo 96:9 que diz: Pois, consumiu-me o puro zelo pela tua casa  E caíram sobre mim os próprios vitupérios dos que te vituperam. 


O texto em momento algum fala de ter avido  agreção por parte de Jesus, e sim ele derrubou as mesas de cambio e expulsou (E com razão diga-se de pasagen) pois não era lugar para vendas pricipalmente para exploração.


29- Jesus disse ao Satan que só Deus deveria ser adorado (Mateus 4:10) e ensinou que adora-se apenas o Pai (João 4:23)


...mas consentiu em ser adorado e não repreendeu seus adoradores (João 9:38; Mateus 8:2; 9:18), algo que os anjos aceitam (Apocalipse 19:10) e Jesus, mesmo sendo menor do que os anjos, aceitou (Hebreus 2:9)


          Respeito, Humildade
Ajoelhar-se. As atitudes e posturas dos orientais em expressar respeito uns aos outros, e especialmente ao fazerem uma petição a alguém superior, eram muito parecidas às atitudes adotadas na oração. Encontramos exemplos de alguém ajoelhar-se em súplica perante outros. Não se fazia isso em adoração daquela pessoa, mas em reconhecimento da posição ou do cargo dela, com profundo respeito. - Mt 17:14; Mr. 1:40; 10:17; 2Rs 1:13.


Curvar-se era mais freqüentemente usado ao cumprimentar outros, ao chegar-se a eles para tratar de negócios ou para mostrar alto grau de respeito. Jacó curvou-se sete vezes ao se encontrar com Esaú. (Gên 33:3) Salomão, embora fosse rei, mostrou respeito para com sua mãe por se curvar diante dela. - 1Rs 2:19.

Curvar-se podia também ser símbolo do conhecimento de derrota. (Is 60:14) Os derrotados talvez comparecessem perante seu conquistador trajados de serrapilheira, e, além disso, com cordas na cabeça, numa súplica de misericórdia. (1Rs 20:31,32) Alguns acham que as cordas mencionadas eram postas em volta do pescoço, para simbolizar cativeiro e submissão.

Embora fosse comum que os judeus curvassem diante duma autoridade para mostrar respeito, Mordecai recusou-se a curvar-se diante de Hamã. Isto se deu porque Hamã, segundo agagita, era bem provavelmente um dos amalequitas, a respeito dos quais Jeová dissera que exterminaria completamente a lembrança deles debaixo dos céus, e que Ele estaria em guerra com Amaleque de geração em geração. (Êx 17:14-16) Visto que curvar-se ou prostar-se podia ser indicação de paz para com Hamã, Mordecai recusou-se a realizar tal ato, porque teria violado com isso a ordem de Deus. - Est 3:5.


Prostrar-se. Josué prostrou-se perante um anjo, um "príncipe do exército de Jeová", não em adoração, mas em reconhecimento do cargo superior do anjo e do fato de que o anjo fora obviamente enviado por Jeová com uma ordem para ele. - Jos 5:14.


Quando Jesus estava na terra, pessoas prostravam-se perante ele para fazer uma petição ou prestar-lhe homenagem, e ele não as repreendia. (Lu 5:12; Jo 9:38) Isto se dava porque era o Rei designado, o Rei nomeado, conforme ele mesmo disse: "A majestade real de Deus tem se aproximado" (ED); o reino de Deus tem se aproximado." (NM; Mr 1:15) Jesus era o herdeiro do trono de Davi, e, por isso, era legitimamente honrado como rei. - Mt 21:29; Jo 12:13-15.


Entretanto, os apóstolos de Jesus Cristo recusaram-se a deixar que outros se prostrassem diante deles. O motivo era que, nos casos descritos, o prostrar-se era feito numa atitude de adoração, como se o poder do espírito santo nos apóstolos, que fazia as curas e outras obras poderosas, fosse deles próprios. Os apóstolos davam-se conta de que o poder procedia de Deus e que o crédito por tais coisas devia ser dado a ele e toda adoração devia ser dirigida a Jeová, por meio de Jesus Cristo, de quem eram apenas representantes. - At 10:25,26.


Em conexão com o respeito mostrado para com Jesus, a palavra muitas vezes usada é pro.sky- né-o, que tem o significado básico de "prestar homenagem", mas também traduzida por "adorar". (Mt 2:11; Lu 4:8) Jesus não estava aceitando adoração, que pertence só a Deus (Mt 4:10), mas reconhecia o ato de alguém prestar homenagem em reconhecimento da autoridade que Lhe foi dada por Deus. O anjo a quem Jesus Cristo enviou para transmitir a Revelação a João expressou o princípio de que a adoração prestada pelo homem só pertence a Deus, quando se negou a ser adorado por João. - Re 19:10.


30- A ascenção de Jesus teria ocorrido na Galiléia, onde proferia suas últimas ordens (Mateus 28:16-20; Mar 16:7,19)


...mas Lucas discorda, a ascenção ocorreu em Betânia, perto de Jerusalém, onde morava o discípulo amado, Lázaro (Lu 24:50-52; Jo 11:1, 3, 36)


Leia Mateus 28:16-20 e Marcos 16:7, 19 e vejam que nenhum dos dois textos falam onde ele teve sua ascenção. Já Lucas 24:50-52 fala claramente que foi em Betânia, então não é discrepância.


SALAM

Nenhum comentário: