18 de julho de 2011

Bianca, Mi manchi


Sinto tua falta
Quando o sol dá a mão ao horizonte
Quando a escuridão dá fim
ao tumulto das pessoas
A fraqueza que não
vai mais embora
Como a sombra de alguma coisa a
inda minha

Sinto tua falta
Nos teus olhares
E naquele sorriso um tanto irresponsável
Nas desculpas daqueles teus provavelmente
És aquele nó na garganta
Que não desce
E tu, e tu

Sinto tua falta, sinto tua falta
Posso fingir que estou bem, mas sinto tua falta
Agora entendo o que significa
Te ter junto a mim na hora de dormir
Enquanto caminho descalço
Para dentro da alma

Sinto tua falta e poderei
Procurar outra mulher pra mim
Mas eu enganaria a mim mesmo
És meu remorso sem fim
O frio de minhas manhãs
Quando olho à volta
E sinto que como me fazes falta

Agora que eu posso te dar um pouco a mais
E tu e tu

Sinto tua falta e poderei
Procurar outra mulher pra mim
Mas eu enganaria a mim mesmo
És meu remorso sem fim
O frio de minhas manhãs
Quando olho à volta
E sinto que como me fazes falta

Nenhum comentário: